sexta-feira, 2 de maio de 2008

O primeiro tiro



Tanta gente pergunta que eu resolvi contar. Não sei exatamente o dia, nem a hora. Só lembro que era frio, muito frio. Tal qual está o dia lá fora hoje. Eu achei que estava sentando diante da televisão para ver mais um filme violento, mas não foi assim. Eu estava diante daquele que seria o estopim de uma das minhas paixões: o faroeste.
O filme: Era uma vez no oeste. No comando da "ópera da morte", Sérgio Leone. Um italiano perfecionista e dono de uma sensibilidade única para trasformar tiros, cavalos e poeira em obra de arte. O toque final: Charles Bronson e seu jeitão quieto de sempre dividindo a cena com os profundos olhos azuis de Henry Fonda.
Estava decretado o meu amor pelos westerns.
Eu devia ter uns 15 anos quando isso aconteceu. E daí por diante o que se viu foram muitas conversas com o meu avô( um eterno apaixonado pelo gênero...será genético?), muitas pesquisas, filmes, livros e sonhos. Uma série de imagens que eu vou levar pro resto da vida. Yul Brynner comandando os sete magníficos. John Wayne mandando a população pastar e indo em busca de uma quadrilha. Terence Hill mandando ver ao lado de Bud Spencer. Os rastros de ódio e a mea-culpa do John Ford. Tio Clint esbanjando charme e balas na trilogia do dólar.

Bang-bang tem fama de filme de garoto, com muito sangue e duelos. Talvez por isso algumas meninas ainda recuem diante da poeira do oeste. Não temam, companheiras! Quase sempre somós nós as responsáveis pelo duelo final. Quer mais poder que isso?

Bjus da Bia

Um comentário:

ana b. disse...

hahahah, nosso post do dia foi sobre cinema! eita sintonia hein?