terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Tá bom, George...


Uma confissão: nunca fui muito com a cara do George Clooney. É charmoso e tal...mas eu nunca tive estômago pra assistir Plantão Médico. Como ator, achava mediano. Dedicado, até. Mas sua cara me passava uma canalhice das boas. Daí ele se arriscou na direção. E eu me vi obrigada a olhar para esse moço com outros olhos. Confissões de uma mente perigosa me prendeu. Mas como eu sou difícil até com o meu grande amor, o cinema, ainda não conseguia pôr na minha boca a frase "curto o George Clooney". Daí veio Boa noite e boa sorte. Caiu meu queixo. O fato do moço ser filho de um apresentador de tv deve ter ajudado, mas a classe da direção é fruto dele. E ontem, lá pelas 2 da manhã, me prestei a ver O amor não tem regras. O gênero não é de fazer meu coração disparar, comédia romântica. Mas encarar desafios é o que faz um grande cinéfilo. E lá vamos nós...
Gostei. Bem feito, ótimos diálogos e tem algo que há muito eu não via numa comédia contemporânea:elegância. Um charme nos movimentos de câmera, na interpretação dos atores, inclusive a dele próprio.
Me rendi. Cai na boa lábia do rapaz. George Clooney conseguiu o feito.
E sabe...ando até perdendo um tempo admirando aqueles cabelos brancos...hehe.

Bjus da Bia :)

Um comentário:

Tati Py disse...

Eu amo George Clooney.
A começar pela cara cafajeste.
E ainda tem talento! Meus deuses. É demais pra mim!

Beijos