quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A carta

Minhas tardes andava mornas e meu coraçõazinho nem um pouco calmo. Mas não era nervoso, era uma coisa chata, como se algo me aguardava e eu não sabia o que era. Ontem descobri. O correio chegou e eu tremi como a muito não fazia. O envelope veio do outro lado do oceano.

Oi! Sei que a gente se fala todo dia graças ao santo MSN, mas eu precisava te mandar isso pelo velho e bom correio. Saudade às pampas dos nossos silêncios e dos teus ataques de frases. Do nosso tchubaruba love e do teu bom humor.
Love you. Escuto e penso em ti. Saca só!

TIGRESA - Caetano Veloso

Uma tigresa de unhas negras e íris cor de mel
Uma mulher, uma beleza que me aconteceu
Esfregando a pele de ouro marrom
Do seu corpo contra o meu
Me falou que o mal é bom e o bem cruel

Enquanto os pelos dessa deusa tremem ao vento ateu
Ela me conta sem certeza tudo o que viveu
Que gostava de política em mil novecentos e sessenta e seis
E hoje dança no Frenetic Dancin' Days

Ela me conta que era atriz e trabalhou no Hair
Com alguns homens foi feliz com outros foi mulher
Que tem muito ódio no coração, que tem dado muito amor
E espalhado muito prazer e muita dor

Mas ela ao mesmo tempo diz que tudo vai mudar
Porque ela vai ser o que quis inventando um lugar
Onde a gente e a natureza feliz, vivam sempre em comunhão
E a tigresa possa mais do que o leão

As garras da felina me marcaram o coração
Mas as besteiras de menina que ela disse não
E eu corri pra o violão num lamento
E a manhã nasceu azul
Como é bom poder tocar um instrumento

Um comentário:

Flavia Alli disse...

bahhhhhh.