quinta-feira, 31 de julho de 2008

Conversar, papear, trovar...


Eu amo conversar. Encho o saco de muitos e divirto outros tantos. Acho que é uma das melhores coisas da vida: conversar, trocar idéias, descobrir coisas novas, dividir conselhos ou simplesmente falar bobagens inspiradoras(né, Bine?!).

Ontem assisti Antes do pôr-do-sol, com direção de um cara que eu acho bacana e criativo, o Richard Linklater. O filme é a continuação de Antes do amanhecer, filme que quando vi pela primeira vez, aos 15 anos, fiquei completamente pasmada. Era um amor desesperado e, ao mesmo tempo, sem futuro certo. Era lindo, mas tinha tudo pra dar errado. Passar um dia com alguém e marcar um encontro pra dali 6 meses? Em Tarde demais para esquecer, com a Deborah Kerr e o Cary Grant, não deu muito certo.
Sou desconfiada por natureza. Jamais acreditaria que um cara estivesse no lugar marcado, 6 meses depois de me conhecer para, enfim, decidirmos as coisas. 6 meses é uma eternidade, ainda mais quando se fala em relacionamentos. Dá pra namorar, casar e descasar nesse meio tempo.
Antes do pôr-do-sol é um filme baseado no diálogo. Talvez por isso tenha me encantado tanto. Porque a gente só conhece alguém conversando.Essa história de amor à primeira vista pra mim é balela e até no cinema fica estranho. Mas em amor à primeira conversa eu acredito. Julie Delpy e Ethan Hawke falam sem parar. Falam da vida, dos medos, da morte, de sexo, de amor, falam besteira. E falam de música. E abrem suas vidas. E se entregam.
Palavras tem poder e, assim como as pessoas, podem machucar ou salvar um dia. Cuide as suas. Mas também não se esqueça de dizê-las quando o coração mandar. Arriscar é preciso. Mesmo que vida não permita uma borracha ou um "delete" para mudar de rumo.

Bjus da Bia ;)

Um comentário:

.mila disse...

AMO esses dois fimes.
São, pra mim, os mais lindos que falam de amor.
Porque eles falam...